A arte africana esteve presente nas passarelas do verão 21 mostrando toda a beleza de suas formas geométricas e o contraste de cores em tecidos que foram trabalhados de uma forma moderna e feminina mostrando que a arte étnica pode ser usada sem ser caricata.

 

 

 

 

Compreende-se por arte africana a totalidade de expressões artísticas presentes no continente africano, sobretudo na região subsaariana. A África é grandiosa, tanto em termos geográficos, como em diversidade cultural, pois são muitos países que a compõe. Dessa forma, suas populações possuem particularidades e costumes diferentes, o que, obviamente, se reflete na arte produzida por elas.

 

 

 

 

 

De qualquer maneira, existem algumas características que se mantém nas manifestações artísticas desses povos.

Podemos dizer que os africanos conseguiram produzir uma arte bastante livre, mas ainda assim preservando o rigor que suas tradições exigiam em busca de um entendimento da espiritualidade e ancestralidade.

 

 

 

 

A história da arte africana originou-se no período pré-histórico, quando a humanidade ainda não havia inventado a escrita. Por isso, a arte foi usada para representar os usos e costumes das tribos da região. O objeto da arte é funcional e expressa muita sensibilidade. Nas pinturas, assim como nas esculturas, a presença da figura humana identifica a preocupação com os valores étnicos, morais e religiosos e é a forma de expressão mais frequente pois é expressa sobre todas as superfícies como pedras, madeiras, cerâmica, tecidos e até a própria pele. Com as sementes e plantas, as tribos desenvolviam várias cores de tinta que, junto aos desenhos, se tornavam característicos de cada uma delas. Inspirados nessa arte, a CUBOLAB trouxe a arte africana para a decoração de uma forma mais contemporânea tendo essa arte trabalhada de forma estilizada sobre tecidos diferenciados e diversas peças decor de materiais e formas especiais. Bem vindo à Afrika!